A maior vergonha!

fome-em-portugal.jpg

A Presidente da Federação dos Bancos Alimentares contra a Fome, Isabel Jonet diz que o número de pessoas a pedir ajuda para comer está a crescer com «novos pobres», pessoas que têm emprego e recebem salário, mas cujo rendimento não dá para satisfazer as necessidades da família. “A situação é alarmante”, garante Fernando Nobre, presidente da AMI (Assistência Médica Internacional).

São dois milhões de pobres em Portugal, segundo os números do INE. Um quinto da população. É uma vergonha nacional!

Uma ou duas vezes por ano, os números da pobreza aparecem a público, desta vez por ocasião do dia Mundial de Alimentação. Mas envergonhadamente, em duas linhas dos jornais. A fome e a pobreza não são notícia. São apenas números estatísticos entre tantos outros.

E no entanto estamos perante a maior crueldade das sociedades modernas. Centenas de milhares de famílias a passarem fome ou a passar pelas maiores privações, sem emprego ou com pensões de reforma muito baixos, que em muitos casos não chegam para pagar os medicamentos, enquanto, uns tantos vivem na maior opulência.

Assiste-se hoje a uma insensibilidade social repugnante por parte de quem pode fazer alguma coisa. Os Governos e as elites fogem às suas responsabilidades sociais. Sem pudor vão destruindo o edifício do Estado Social, que o rendimento social de integração ou o complemento social aos idosos, não conseguem disfarçar. Os ricos e poderosos estão-se positivamente nas tintas. Em contraste, Portugal continua a ser o país, onde o fosso entre ricos e pobres é o maior, do conjunto dos países da União Europeia.

Entretanto o Governo Sócrates vai ainda penalizar mais quem tem mais dificuldades, aumentando o IRS a aposentados com rendimentos acima dos 430 euros mensais.

Adenda: leio aqui que no Porto 3 em cada 10 portuenses, vivem com menos de dez euros por dia. Este é um país filho da puta de cáca.

Anúncios

13 comentários a “A maior vergonha!

  1. Há tanta fome encoberta por aí… e as pessoas teem vergonha de dizer que vão buscar comida e roupa a esses sítios. Por aqui vê-se casais novos com filhotes a irem á Cruz vermelha buscar variadissimas coisas… mas trazem tudo não nos sacos do Banco Alimentar mas nos sacos do Pingo doce ou LIDL… e fazem tudo para disfarçar… eu se calhar tambem o faria, não sei, è que depois as pessoas são vistas como coitadinhas .. o nosso Portuga tem a mania de achar tudo como sendo um azar na vida e não culpar ninguem por esta situação.. isso ainda me embrutece mais…Azar na vida… !

  2. Isso é a nova pobreza dos paises ricos que vai aparecendo…
    aqui também existe ja a varios anos e vai aumentando; pessoas que não conseguem sobreviver mesmo trabalhando..

    Essa pobreza não deveria existir em paises dito ricos, civilizados.
    E ninguém esta o abrigo de cair nessa pobreza..

    um beijo

  3. O mundo tem cerca de 980 milhões, repito, novecentos e oitenta milhões de pobres. Desses, 2 milhões, volto a repetir, DOIS MILHÕES, são portugueses. Qualquer coisa como, num e noutro caso, uns simples 20% da população…
    Uma ninharia digamos…

    [-Convençam-nos, ofereçam-lhes uma televisão e um telemóvel e convençam-nos que são ricos, que são remediados pelo menos.]

    O presidente Cavaco Silva tem vergonha da pobreza em Portugal.

    Paradoxo! Enquanto isso o governo de Portugal fiel seguidor das instruções dos senhores que mandam nesta Europa anti-social, apresenta um orçamento de estado para 2008 com poupanças significativas, redução de despesa, nas prestações sociais. Comentários para quê?

    Cavaco Silva diz que tem vergonha da pobreza em Portugal.
    Não me convence, até porque não é inocente na vergonha de que fala.

    Vergonha, vergonha a sério tenho eu, quando me lembro que este orçamento (que poupa reduzindo prestações sociais num país com 20% de pobres) é da responsabilidade de alguém que se diz socialista.

    E porque tenho vergonha, que o mesmo é dizer dignidade, vou agora para Lisboa para juntar a minha voz aos muitos milhares que hoje se hão-de manifestar junto ao Parque das Nações contra esta Europa anti-social.

    A propósito de socialismo e dos seus usos… Adolfo não se denominava socialista, nacional-socialista?

    JC

  4. Cheguei de Lisboa…

    Estou cansado… Cansado mas satisfeito. Não que tivesse mudado alguma coisa. Não… ainda não mudou. Mas o caminho é este, o do protesto.

    Fomos Muitos, muitos mil…

    Seríamos com toda a certeza mais de 200 000 a protestar contra a politica de José Sócrates e contra essa Europa anti-social que nos querem impor.

    JC

    § Um pequeno senão. O sectarísmo que continua a grassar nas hostes do PCP. Mas será que estes senhores não percebem que assim não vamos lá? Será que estes senhores, corrijo, alguns destes senhores ainda não perceberam que o inimigo deles não é o Bloco? Quando é que estas almas, sim estas almas, entendem que a diferença não diminui a nossa (nossa, refiro-me a povo, aos trabalhadores) capacidade de lutar? Quando entenderão que o inimigo é José Sócrates e a sua politica neo-liberal?

    Antigamente, há trinta anos… queimavam com pontas de cigarros, ou picavam com alfinetes os manifestantes que não obedeciam à lógica do aparelho, para que estes respondessem à agressão provocação e aparecessem como agentes de qualquer coisa… Agora espalham estrategicamente alguns provocadores ao longo do trajecto para insulta quem não obedece cegamente à lógica do partido, ou quem combate o inimigo comum de outra maneira que não a do PCP. Então não querem lá ver que estes senhores se permitiram colocar alguns burocratas sindicais, funcionários a tempo inteiro, alguns dos quais deixaram a produção do que quer que fosse, em locais estratégicos para apuparem os militantes do Bloco? Um desses permitiu-se mandar-me trabalhar? [Não, não foi nenhum patrão, muito menos um tipo do CDS… (Eu julgo que não era do CDS, nem do PSD…mas… estou por tudo) quem se atreveu a tal desaforo.] Quem o fez é funcionário sindical. Eu trabalho à trinta anos, tantos quantos ele tem de dirigente sindical…

    Apesar de tudo tenho esperança nas novas gerações…
    Desta, a que domina os sindicatos encarrega-se a lei da vida.

  5. Então ke kerem… não posso com pessoas assim talvez veja mais que eu … não sei, eu estive com gente do Bloco com gente do PS e sinceramente sr. JC, não vi inimizades, não vi … o ke vi foi tudo pelo mesmo, afinal se calhar o sr. vê fantasmas.. deve ser ou então o seu problema è mesmo o de ser Anti-comunista.

  6. Não viu nada do que eu escrevi, provavelmente inventei tudo… tipo inventona.
    Pois que seja aquilo que você quiser que seja.

    São fantasmas, que sejam…
    Deixe lá… não se aborreça, eu inventei tudo, tudo, nada aconteceu como escrevi… Aliás sempre inventei… Há trinta anos quando me espicaçavam os braços e queimavam com cigarros era invenção minha, a dor que sentia era psicologica…

    Anti-comunista? Olhe que não, olhe que não…

    «D. Quixote vê gigantes… são gigantes. Sancho vê moinhos… são moinhos.» [A. Gedeão]

    A proposito você sabe o que é SER COMUNISTA?

  7. Nelly

    Parece ao que li que aconteceram problemas idênticos aos que já tinham acontecido em Guimarães. E o motivo foi o mesmo de sempre. O facto da delegação do Bloco ir identificada com símbolos partidário. Alguns militantes do PCP não gostam e desatam aos insultos e tentam impedir o desfile com símbolos que identificam o Bloco. Em Guimarães foi assim que se passou que eu assisti. Pelos vistos em Lisboa aconteceu o mesmo e em vários sítios, quando passava a delegação do Bloco esta era insultada, aparentemente por essa razão.

    Pessoalmente penso que a direcção do PCP não está por detrás disso (mas também não se demarca) e que é mais o sectarismo de alguns militantes a falar mais alto.

    Por parte da direcção da CGTP não parece haver problemas. O Bloco sempre desfilou assim e nunca foi chamado à atenção.

    Pode-se questionar se será ou não correcto, nestas manifestações sindicais os partidos levarem símbolos partidários. Eu pessoalmente não vejo nada contra.

    O argumento de aproveitamento partidário não colhe. Toda a gente sabe que a grande mobilização é feita por militantes do PC que estes estão em maioria nas direcções sindicais. Ninguém lhes retira esse mérito.

    Mas a luta é de todos os que estiverem com a luta e cada um deveria poder manifestar-se como quer, desde que não desvirtue os objectivos da luta e esses sempre foram respeitados.

    A minha opinião é a mesma de alguém que se identificou com jd, numa discussão sobre o mesmo assunto, no Troll Urbano e que transcrevo a seguir:

    “Mas porque carga de água é que só em Portugal é que se vê disto? Os camaradas cá do rectângulo nunca viram manifs em Paris, Madrid ou Roma, em que vão lado a lado os sindicatos, as organizações e os partidos de esquerda? O problema do PCP é que se não forem os partidos identificados presume-se que são todos comunistas…”

    JC

    A Nelly é uma comunista. É uma comunista do PCP. Tu tens “cara” de comunista 😉 Mas és do Bloco, acho eu.

    São pequenas diferenças mas que fazem diferença. São duas maneiras de ver a mesma realidade.

    Em matéria de sectarismo, há ainda muito a fazer dos dois lados. Do PCP e do Bloco. Apesar da tirada da Nelly (O Sr deve ser muito anti-comunista) ou da tua (Você sabe o que é SER COMUNISTA).

    Por muito que queiramos dizer o contrário o sectarismo ainda está muito presente em nós todos. No Vosso caso (do que conheço de ti e da Nelly) até nem é por aí além. Pelo menos é o que eu penso.

  8. Fernando

    Quando perguntei «Você sabe o que é SER COMUNISTA?» não estava a ser ironico. Ser comunista é qualquer coisa, permite-me o chavão, que não está ao alcance de qualquer um. Perguntei «o que é SER COMUNISTA», não perguntei o que é ser do PCP. São coisas diferentes, como penso que tu, embora já não te interesses por essa ideologia, sabes.

    Quanto ao sectarismo, ao que tu pelos vistos, também me atribuis uma certa dose, embora nada por ai além… (Gostei!) lamento, mas não partilho dessa opinião. Não me julgo como tal, embora admita que outros possam fazer de mim essa leitura, mas porque não me conhecem suficientemente.
    Há por uma uma coisa, não desisto facilmente da minha razão, daquilo que julgo ter razão. Convençam-me, pelo debate de ideias, do contrário.

    Quanto ao resto, não me interessa se a direcção do PCP instroi os seus militantes para aquelas atitudes, a verdade é que é conivente e não se demarca.

    Mas com ou sem demarcação, não admito que nenhum filho da p… burocrata sindical, com trinta anos de vadiagem à minha conta me mande trabalhar, logo eu que sustentei uma corja deles num sindicato que por decoro não identifico, mas que tu sabes bem qual é.

  9. JC

    Dizes, lembrando uma minha frase dita num dado momento, que eu deixei de ser comunista. É verdade, disse isso, no pressuposto de que ser comunista, seria ser adepto das teorias marxistas-leninistas e reafirmo o que disse. Não sou comunista na sua concepção marxista-leninista. Digamos que as experiências “comunistas” respondem por mim.

    Mas o que é ser comunista, perguntas tu?

    Se me disseres que ser comunista é desejar uma sociedade que cumpra a célebre frase de Karl Marx “de cada um segundo as suas capacidades a cada um segundo as suas necessidades” eu diria que sou um comunista.

    Se me disseres que ser comunista, é ser por uma sociedade sem classes, sem Estado, sem injustiça social, eu diria que sou comunista.

    O que deixei de ser foi … comunista à luz das teorias marxistas-leninistas, ou mais especificamente leninistas.

    O que deixei de ser foi … comunista no que respeita à concepção de partido como vanguarda das massas, liderado pelo “proletariado”.

    O que deixei de ser foi … comunista quanto ao modelo de organização da sociedade, em que partido e Estado, são uma e a mesma coisa.

    O que deixei de ser foi … comunista por não não haver escolha livre das opções políticas, eleições, democracia, sindicatos, greves ou … outros partidos políticos.

    O que deixei de ser foi … comunista em que não são respeitadas as liberdades fundamentais, de reunião, associação, de opinião.

    O que deixei de ser foi … comunista em que não são respeitadas as liberdades individuais a vários níveis.

    Talvez por isso, mesmo sem grande aprofundamento teórico afirmei, que se calhar serei um anarca-comunista. Ou talvez não. Também, sinceramente, não estou muito interessado em catalogar-me ideologicamente.

    A minha luta é de sempre … a luta por uma sociedade socialista em que as pessoas pudessem viver com dignidade e com justiça social.

    … e essas coisas das liberdades.

    Ah, já me ia esquecendo, eu disse que todos somos um pouco sectários o que significa que também me estava a incluir. Embora eu pense que não sou mesmo sectário, pelo contrário, respeito muito as opiniões contrárias mesmo quando estão longe das minhas e quando são sérias.

  10. Meu caro

    Não disse, não está por mim escrito em lado nenhum, que o Fernando deixou de ser comunista. Disse, isso sim que «embora já não te interesses por essa ideologia» enquanto ciência politica evidentemente, apesar dessa particularidade, conheces a questão, a matéria e tens opiniões sobre o COMUNISMO (Não confundir Comunismo com PCP e muito menos com o regime que imperou na URSS, impera na Coreia e na China). Apenas isso.
    Penso aliás que SER COMUNISTA é provavelmente algo, direi melhor, está bem caracterizado no teu comentário acima. Quando questionei o que é “SER COMUNISTA” foi apenas de repelir alguém que em face das minhas criticas aos processos utilizados pelo PCP na manif do passado dia 18, se atreveu a escrever «o seu problema è mesmo o de ser Anti-comunista».
    Se essa minha reacção, que entendo como legitima, te obriga a reagir assim… lamento… mas em minha opinião é despropositado. Apesar de tu conheceres, penso eu, a Nelly, ao ponto de poderes afirmar que «A Nelly é uma comunista. É uma comunista do PCP.» Eu que não tenho apenas «cara de comunista» (este “apenas” é relativo, não estou a confirmar nem a desmentir absolutamente nada) eu reivindico o direito de contestar a exclusividade de SER COMUNISTA ao PCP. E não aceito que a exemplo do Salazar que chamava comunista a todos os opositores que outros agora se atrevam a chamar Anti-comunista a quem discorda dos métodos utilizados.

    Quanto ao sectarismo, começo a ficar cansado do rotulo. É que qualquer atitude mais firme, de principio, tende na relatividade do liberalismo a ser sectária.

    A Nelly até pode ser, e provavelmente é, uma pessoa estimável… mas deve medir as insinuações.

  11. Todos nós fingimos não ver , todos nós sabemos o truque dos 3 macacos … mas cada um de nós continua a tentar ser rei , tentar dominar o proximo para chegar ao poder , numa ambição desgraçada em que o resultado é sempre o de que para alguem vencer , alguem tem de perder … quantos tentam mostrar ter o que não têm possibilidades , lutando e massacrando quem for preciso para o seu bem estar adequirir … realmente cada vez mais há pessoas que não soportam a corrida e ficam para tras na manada louca e iludida em que são muito raras as pessoas com consciencia de estarem vivas e vivendo rodiadas de outros seres vivos …

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s