É uma frase batida mas cada vez faz mais sentido.

O Governo quer equilibrar as contas públicas. E ninguém de bom senso ousará contestar esse desígnio. E não deveria ser preciso a Europa estar a dizer-nos. O Estado não pode viver acima das suas possibilidades. Cada um de nós, sendo responsável, sabe que só pode gastar aquilo que tem. Se alguém ganhar mil euros por mês, por exemplo, não pode querer gastar mil e duzentos. Esta deve ser a regra. Não é por aí que o Governo deve ser criticado. Nem por ter uma obsessão em diminuir o défice. Controlar as contas é um bom princípio.

A questão não é essa!

A questão é saber como e de que modo se vai diminuir o défice e controlar as contas. Penso ser consensual dizer que apenas existe um caminho: aumentar as receitas e diminuir as despesas públicas do Estado, gerindo bem as contas. E como é que isso se faz? Há muitas teorias económicas. Não sou eu que vou dar palpites. Mas de certeza que qualquer delas exige ou exigiria sacrifícios até atingir um equilíbrio.

E aqui é que bate o ponto e aqui é que o Governo mostra que é canalha.

O Governo já não tem margem para pedir mais sacrifícios aos mesmos. Não pode continuar a exigir mais sacrifícios aos que atravessam mais dificuldades.

Não adianta estar aqui a repetir-me sobre as malfeitorias deste Governo sobre os trabalhadores e as populações. Não adianta dizer que pelo terceiro ano consecutivo, os pensionistas de mais baixos rendimentos vão ver a sua a taxa de IRS agravada. Ou que os preços dos serviços essenciais aumentam desmesuradamente. Ou que vão retirar os benefícios fiscais aos deficientes de uma forma cega. Ou que vai aumentar a carga fiscal aos trabalhadores, por contra de outrem, que tenham um vencimento (mais que justificado) superior a 2,5 por cento. Não, não adianta!

Estas são escolhas políticas de Governos canalhas. Agora é este antes foram de outros.

O que adianta insistir é que estas são as escolhas políticas de Governos ao serviço dos ricos e dos poderosos. E que os ricos continuam mais ricos. E que as desigualdades acentuam-se e o desemprego cresce sem parar.

Não, agora já não se trata de pedir que haja uma partilha de sacrifícios…

Agora, trata-se de exigir (para pegar numa velha frase), os ricos que paguem a crise!

Os grandes lucros e as grandes “máquinas” de alguns, devem querer significar alguma coisa.

Anúncios

7 comentários a “É uma frase batida mas cada vez faz mais sentido.

  1. Este ano estive a falar com um “desses ricos”; desses ricos que enriquece a custa de nos e do estado. Um homen que so declara como salario por mês 500 euros e o lado disso tem uma casa e um restaurante na terra dele, e 2 o 3 apartamentos a beira duma praia muito conhecida; até o filho, 12 anos de idade ja tem um apartamento no nome dele…

    Nestes ultimos anos vi o nivel de vida das pessoa baixar duma maneira vertiginosa e vi o custa da vida aumentar duma maneira intoleravel…

    O pior Fernando é que tenho a sensação que toda a gente vive bém, sem problemas…ninguém diz nada; parece que temos no tempo duma ditatura, falar disso fica tabu, o então é por vergonha de dizer que algo vai mal…

    um beijo.

  2. Todos os governos em Portugal são maus. Parece sina. Mas este é o pior de todos. Nunca nenhum governo tinha roubado tanto em tão pouco tempo. O Portugal pós-sócrates chamar-se-á Pràquistão ou qualquer coisa assim.

  3. Helena,
    É uma vergonha, Helena. Não sei como será possível mudar isto.
    Vê agora a vergonha do que se está a passar num dos maiores bancos portugueses, o BCP, em que são “perdoados” milhões de euros de dividas a empresas do filho do Presidente do banco e mais outros obscuros negócios em que estão envolvidos outros administradores.

  4. Penso que seria uma boa acção, seria apenas uma redestribuição dos lucros exagerados que tanto têm “enchido” os bolsos, em tempos de “vacas magras” para a maioria da população (os não ricos).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s