Divagações

A tempo

Eu gosto do tempo
e ter tempo.
Tempo para dispor dele
e fazer
ou não fazer
… tempo.

Tempo para deixar para amanhã
e para o último segundo
… dentro do tempo.

Eu gosto do tempo
e ter tempo
… para ver que tenho tempo.

Eu acordo mais cedo
para ter tempo!
… mais tempo.

Mais tempo
para fazer
ou não fazer
… dentro do meu tempo.

Há tempo suficiente para tudo
… desde que tenha tempo.

E há tempo …
e tanto para fazer…
e
não
sei
o que hei-de fazer
… ao tempo
… que tenho para fazer.

Eu preciso do tempo!

O tempo
está
a
andar
depressa
demais.

O tempo não pára.
O tempo está quotidianamente
superficial,
monótono.

Onde está o tempo?
Para onde foi o tempo?
Porque foge o tempo?

Que dia é hoje?

Tanto para fazer
e eu com tempo…
sem saber o que hei-de fazer
… ao tempo.

Que fazer?
Como fazer?

A tempo!

Fernando Marques
(31 de Outubro de 2006)

Anúncios
por Fernando Publicado em Poesia

4 comentários a “Divagações

  1. Com um pouquinho mais de tempo, te deixo estas linhas :

    O tempo corre, decorre, vai correndo, sem jamais o conseguir-mos apanhar…

    O tempo correndo, decorrendo vai deixando suas marcas…

    O tempo vai passando, sem nunca repassando…

    Andamos sempre atrás do tempo…

    Até que um dia ele nos apanha…

    E ali o tempo parou…

    Sem nunca o termos apanhado…

    Ele nos apanhou…

    um beijo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s