Carmona Rodrigues. Um “morto” não entra em combate.

carmona.jpgCarmona Rodrigues está a “armar-se”. Não é por estar agarrado ao poder mas sim por teimosia que não se demite de Presidente da Câmara. Contra as expectativas, pela primeira e última vez, quis dar um ar de forte, mas o acto teatral de um efémero comediante tem os dias contados.

Carmona Rodrigues que passou pelo mandato cheio de hesitações, trapalhadas, confusões, incapaz de assumir uma liderança, insensível aos “fumos”, aos erros próprios e alheios, desembainha agora a espada para um duelo, “em defesa da honra” não contra a oposição, mas contra o PSD, o “seu” partido.

Carmona Rodrigues já esta “morto” para entrar em combate. Carmona Rodrigues passou a “cadáver” político com a ida à exposição de motos, sem passar cavaco a ninguém, deixando a Câmara sem rei nem roque, uma vez mais.

Marques Mendes esteve bem neste processo ao colocar o problema no plano político e ao deixar claro que a decisão se deveu ao impasse político e à ingovernabilidade da cidade.

Os lisboetas que se preparem para eleições ainda este Verão.

Anúncios

5 comentários a “Carmona Rodrigues. Um “morto” não entra em combate.

  1. Achas que o MM esteve bem? A mim parece-me que fez figura de parvo ao pedir aos vereadores para se dimitirem para haver eleições e o CR a dizer no dia seguinte que não senhor que fica. O MM a dizer que a haver eleições se mantinha a Assembleia e o Carmona a dizer que a haver eleições é para os orgãos todos. Acho que o Carmona quis afrontar o MM como represália à falta de apoio que lhe deu em todo este processo.

  2. MM só esteve bem porque afirmou que o problema é político e não judicial.

    Porque afirmo que o executivo da Câmara não tem condições políticas, face ao volume de problemas que enfrenta para governar a cidade.

    Porque pede novas eleições da Câmara devido a problemas de gestão executiva, de impasse político, como resultado do somatório de muitas situações, os problemas financeiros,(porque está fragilizado com a saída do vice e vereadora do urbanismo, e com a coligação com o CDS) e isso não podia continuar.

    Não é o facto de ser arguido que é relevante. Ser arguido não transforma ninguém em culpado: Qualquer um pode ser arguido. E isso é importante ser dito.

    MM tarde, mas tomou a única posição sustentável. Pedir novas eleições. Foi tarde mas tomou. MM não pode obrigar os vereadores a demitir-se (mesmo do seu partido) mas pode pedir para se demitirem e retirar-lhes a confiança do partido e isso fê-lo.
    Já quanto a não pedir a demissão da AM percebe-se, mas isso é jogo político.

    Mas confesso que num primeiro momento ainda pensei que isto fosse uma manobra encenada e combinada: MM sair deste processo em coerência com casos idênticos e Carmona fazer de virgem ofendida, transformando esta situação num caso pessoal.

    Mas depois de ouvir melhor as declarações de Carmona abandonei esta teoria conspirativa 🙂

  3. Como vai a principal autarquia do país. Se bem que Carmona no meio da trapalhada não está isento de culpas, penso que muito do que se está a passar ainda vem da herança Santana lopes.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s