Vamos mudar isto.

No suplemento Ípsilon do Público de hoje, tomei conhecimento de que no Porto aqui tão perto, na Casa da Música, no dia 30 deste mês de Abril, José Mário Branco vai dar um espectáculo criado para o efeito, recriando o “espírito do histórico FMI”, através de um novo texto em versão rap (o FMI já era um pouco isso), de nome “Mudar de Vida”. Para grande tristeza minha, o espectáculo já está esgotado.

José Mário Branco em discurso directo nestes excertos da reportagem do Público sobre o espectáculo:

Sobre a sociedade a nível global. “Isto está insuportável. A nossa sociedade está irracional, barbarizada, desumanizada. E isto é o nosso olhar de intelectuais. Mas depois começamos a pensa nas pessoas que estão mesmo mal, naqueles olhares que vemos no telejornal, aqueles que ao fim de trinta ou qurenta anos de trabalho vão para casa sem nada, apenas com um casaco nas costas. Isto tem que ter uma leitura política qualquer. [no meu caso] é uma leitura política radical. Isto não serve. Não tem nada a ver com os valores da humanidade, tanto a nível quotidiano como global. O capitalismo está a destruir famílias, pessoas, comunidades. Tem que haver uma atitude radical que vá até ao alicerce das coisas.”

Sobre as saídas para esta situação. “Não é para repetir [os horrores do passado]. [também] não sabemos como será. Temos é que tentar. Ir buscar aquilo que houve de mais válido nas ideias e nos sonhos transformadores do passado, ver o que estragou aquilo, e conseguir um novo caminho.”

Não desistir e dá um exemplo. “Um biólogo alemão Ehrlich, quando descobriu a vacina contra a sífilis, esta matava a sífilis mas também matava o doente, era a Ehrlich 606 e ele continuou, continuou, até que chegou ao Ehrilich 914, que já curava a sífilis sem matar o doente. E nós, humanidade, quantas experiências fizemos? 606? 904? É razão para parar, para desistir? Não é.”

José Mário Branco, 65 anos de idade, filho de professores primários, muito mais vivo que morto, está aqui para isto … e para o resto, sempre firme, sempre generoso, com a mesma utopia de sempre.

Vamos a isto!

cocertoresitirevencerporto.jpg

O bilhete digitalizado do concerto do “Resistir é Vencer”.
Desta vez não vou poder ver este espectáculo. 😦

Uma pequena nota: José Mário Branco entregou-se novamente aos estudo na Faculdade de Letras e com 65 anos de idade, foi o melhor aluno do ano passado, pelo que vai receber uma bolsa de estudo. Até nisto o Zé Mário é um exemplo. 

Anúncios
por Fernando Publicado em Geral

5 comentários a “Vamos mudar isto.

  1. K7 – Eu fui ontem dar uma espreitadela e vi que estava a tocar essa música mas não estava com tempo para ouvir. Vou voltar. Estava para te enviara um mail mas aproveito dizê-lo aqui se voltares que estou a colocar uma música do Zé Mário todos os dias e apesar de ter sete álbuns dele (um dos quais duplo) não tenho todas as músicas, especialmente as do GAC (tenho 8 ep’s em Vinil) em especial o Pois canté (cheguei a ter mas perdeu-se…) se por acaso tiveres gravadas essas músicas e as me pudesses facultar, agradecia-te imenso. Já agora as minhas músicas também estão ao teu dispor se as quiseres e/ou não tiveres. Um abraço.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s