A intolerância e a sensatez

A intolerância.

“O aborto é apenas uma variante da pena de morte”

Declaração do bispo da diocese de Bragança-Miranda e vice-presidente da Conferência Episcopal, D. António Moreira Montes.
in “Público on-line, 15 de Janeiro de 2007.

A sensatez.

“É injusto dizer que quem defende o SIM é apologista de uma cultura de morte, pois isso cria o equivoco de que se vai promover a prática do aborto”

Teresa Caeiro, Deputada do CDS/PP
in Expresso, 13 de Janeiro de 2007

Anúncios
por Fernando Publicado em Aborto

9 comentários a “A intolerância e a sensatez

  1. A propósito do teu post ocorreu-me o poema Liberdade de Miguel Torga que te deixo com muito carinho

    – Liberdade, que estais no céu…

    Rezava o padre nosso que sabia,

    A pedir-te humildemente,

    O pão de cada dia.

    Mas a tua bondade omnipotente

    Nem me ouvia.

    – Liberdade, que estais na terra…

    E a minha voz crescia

    De emoção,

    Mas um silêncio triste sepultava

    A fé que ressumava

    Da oração.

    Até que um dia, corajosamente,

    Olhei noutro sentido, e pude, deslumbrado,

    Saborear, enfim,

    O pão da minha fome.

    – Liberdade, que estais em mim,

    Santificado seja o vosso nome.

  2. O que mais me preocupa é que na altura do referendo vamos ter milhões de portugueses que levaram lavagens cerebrais nas missas.

    Ainda estou para perceber porque os membros religiosos se metem a falar sobre política. Não percebo que direito têm católicos que não estão a favor do aborto de negar essa escolha a outros.

    Aliás, não percebo este referendo, não se está a obrigar ninguém a abortar, despenalizava-se e quem quisesse abortava e quem não quisesse fosse por que convicções fosse não o fazia na mesma.

  3. Bom senso precisa-se, obviamente… no minimo o que assistiu a Natália Correia em 3 de Abril de 1982.
    Cá vai.

    «O acto sexual é para ter filhos» – disse na Assembleia da República, no dia 3 de Abril de 1982, o então deputado do CDS João Morgado num debate sobre a legalização do aborto.

    A resposta de Natália Correia, em poema – publicado depois pelo Diário de Lisboa em 5 de Abril desse ano – fez rir todas as bancadas parlamentares, sem excepção, tendo os trabalhos parlamentares sido interrompidos por isso:

    Já que o coito – diz Morgado –

    tem como fim cristalino,

    preciso e imaculado

    fazer menina ou menino;

    e cada vez que o varão

    sexual petisco manduca,

    temos na procriação

    prova de que houve truca-truca.

    Sendo pai só de um rebento,

    lógica é a conclusão

    de que o viril instrumento

    só usou – parca ração! –

    uma vez. E se a função

    faz o órgão – diz o ditado –

    consumada essa excepção,

    ficou capado o Morgado.

    ( Natália Correia – 3 de Abril de 1982 )

  4. lol … n estão a promover, mas se permitissem tb a pena de morte ela estava a ser promovida, mas iria ocorrer obviamente … lol , voçe n é muito boa a argumentar

  5. lol … n estão a promover, mas se permitissem tb a pena de morte ela não estaria a ser promovida, mas iria ocorrer obviamente … lol , voçe n é muito boa a argumentar

  6. “A igreja católica está de cabeça perdida.” a igreja católica e todos os cultos messiânicos e semitas, já estão perdidos a muito tempo, quem não sabia disso é que se pode considerar um caso perdido.

    de qq forma, viva a liberdade de expressão e a democracia, pq graças aos Deuses não somos comandados por uma chusma de comunistas, que nos iriam impor leis sem referendos .

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s